[Notícias][6]

"JUSTIÇA"
"PREFEITÁVEL"
"Religião e Política"
´Polícia
2014
Ação Social
acidente
Advogado(s)
AGENDA DE HENRIQUE ALVES
AGENDA DOS CANDIDATOS
Agricultura
ANIVERSARIANTE DO DIA
Apodí
Aposentados
Aposentados...
Artísta
Artístas
Assalto(s)
Assu
Ator
Atriz
Bancos
Bancos/Financeiras
BELEZAS
BLO
Blogueiro
BRASIL
Brasília
Câmara dos Deputados
Câmara e Senado
CAMARA FEDERAL
CÂMARA FEDERAL
CÂMARA FEDERAL/SENADO FEDERAL
Câmara Municipal
CAMPANHA
Cantor
Cantora
cantores
Caraúbas
Carnaval
Celebridades
Chuva
Cidades
Ciência
Comunicação
Comunicado
Concurso Público
Congresso
Consumidor
CONVITE
COPA DO MUNDO/2014
Correios
CORRUPÇÃO
COTIDIANO
crime
Cultura
Curiosidades
Cursos
DADOS
Datas Comemorativas
Debate ao Governo
Debate Presidencial
Defesa Civil
DENÚNCIA
DEPUTADA FEDERAL
Deputado
Deputados Estaduais do RN
Dia a dia...
Dicas
Dilma
Drogas
Economia
Econômia
educação
Educadores
Eleições
Eleições 2014
Eleições 2014/RN
Eleições 2016
Eleições Municipais 2016
Eleições Municipais Segundo Turno
Eleições Presidencial
Eleições Suplementares
Emenda Parlamentar
Emprego
ENQUETE
Ensaio
Esporte
Estatísticas
Evento
EVENTOS
EX DEPUTADO
Ex governador
Ex Ministro
Ex Prefeito(a)
Ex presidente
Facebook
Famosos
Felipe Guerra
Feriados
FESTAS
Forró
Futebol
Gerais no RN
Governador
Governador do RN
Governadores
Governo
Governo do RN
Governo Federal
Greve
Henrique Alves
Humor
Humoristas
Impeachment
Incendio
Incêndio
Industria
Internet
Investigação
IPVA
itaú
ITAÚ/RN
Jogadores
Juiz(a)
JUS
Justiça
JUSTIÇA ELEITORAL
Leilão
Leis
LEVANTAMENTO
LEVANTAMENTO...
LGBT
LIGEIRINHAS...
Loteria
Martins
Médico
MENSALÃO
Ministro
Ministros
MMN
Mossoró
MP/RN
MPF
MPF/RN
MULTINÍVEL-MMN
Mundo
Mundo Animal
Natal
Natureza!
Nordeste
Nota de Esclarecimento.
Nota de Repúdio
Palestra
PATU
Pau dos ferros
Pesquisa
PIS/PASEP
Poder
Poder Legislativo Municipal
POL ROD ESTADUAL DO RN
POL TECNICA
POLICIA
polícia
POLICIA AMBIENTAL
POLÍCIA AMBIENTAL
Polícia Civil
Polícia Federal
Polícia Militar
POLICIA MILITAR DO RN
POLÍCIA ROD FEDERAL
POLÍCIAS
POLITICA
política
política do RN
Políticos
Políticos do rn
PREFEITÁVEIS
Prefeito
Prefeito(a)
Prefeitos
Prefeitura
Prefeituras
Presidenta
Presidente
Presidente da República
Presidente da República do Brasil
PRESIDENTE TEMER
Presídio
PRF
Processo Seletivo
Protesto
Protestos
Protestos...
PUBLICIDADES
Redes Sociais
Religião
Revista
Riacho da Cruz
Rodolfo Fernandes
Rosalba Ciarlini
Salário
Saúde
Saúde Pública
Seca
Secretário de Saúde
Secretário(a) de SPRN
Segurança Pública
Segurança Pública RN
Senado Federal
Senador
Senador(a)
Servidores do estado do RN
Servidores Federais
Servidores municipais
Severiano Melo
SOCIAL
STF
Taboleiro Grande
Tecnologia
Televisão
Trabalhador
Tragédia
Umarizal
vereador(a)
VEREADORES
Vestibular
Vice governador
Vice Presidente da República do Brasil
Vice-Prefeito(a)
VÍDEO
Violência

Em possível caso raro de reação adversa, aposentada morre após se vacinar contra febre amarela Mônika Oelkerf, de 76 anos, apresentou sintomas da doença viscerotrópica aguda, que ocorre em 1 a cada 400 mil doses aplicadas.

A professora aposentada Mônika Oelkerf, de 76 anos, saiu de sua casa, em Ibiúna, no interior de São Paulo, no dia 8 de janeiro para se vacinar contra febre amarela, mas morreu oito dias depois em um caso extremamente raro de reação adversa à imunização.
Professora aposentada apresentou sintomas de reação à vacina no dia seguinte à visita ao posto de saúde em Ibiúna | Foto: Arquivo PessoalFoto: BBCBrasil.com
Mônika começou a sentir-se mal no dia seguinte à visita ao posto de saúde Dr. Darcy Bandeira. Com muito cansaço, febre, fraqueza e falta de apetite, ela foi levada a um pronto-socorro, onde familiares afirmam que ela apenas recebeu soro.

Seu quadro não melhorou, e ela foi para a cidade de São Paulo, a 75 km de Ibiúna, para ser examinada no Hospital do Servidor.

"No hospital, remontaram seu histórico clínico, pediram exames e diagnosticaram uma reação muito forte à vacina, dizendo que o corpo dela estava manifestando sintomas da doença", diz sua sobrinha-neta, Bianca Wiederin, de 28 anos, que acompanhou Mônika em sua internação em São Paulo.


"Como o funcionamento do fígado e dos rins foi comprometido, ela foi para a UTI, onde uma equipe de infectologistas assumiu e fez o mesmo diagnóstico." Internada no dia 14, Mônika teve de ser entubada no dia seguinte e morreu no dia 16.

No documento do hospital que acompanhou o corpo, enviado ao Serviço de Verificação de Óbito, está escrito na última linha: causa possível - febre amarela, reação vacinal.

O laudo da morte da aposentada lista, entre os diagnósticos, hemorragia pulmonar, hepatite aguda, icterícia febril e febre hemorrágica, sintomas da doença viscerotrópica aguda (DVA), uma reação à vacina em que o paciente desenvolve um quadro semelhante ao da doença até dez dias após ser imunizado. Além disso, ela sofria de obesidade, arteriosclerose, diabetes e hipertensão.

Estima-se que ocorra um caso de DVA para cada 400 mil doses aplicadas, segundo a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Documento do hospital aponta como causa possível da morte: febre amarela, reação vacinal | Foto: Arquivo PessoalFoto: BBCBrasil.comSegurança e recomendações


A vacina contra febre amarela é considerada altamente segura e, atualmente, é recomendada para quem tem entre nove meses - ou seis, em áreas consideradas de alto risco - e 59 anos de idade. Acima dessa faixa etária, o paciente deve se consultar com um médico para avaliar o estado do sistema imunológico e se o risco de contágio é alto ou não antes de se vacinar.

Segundo a Fiocruz, o risco de reação adversa é ainda maior para quem tem acima de 70 anos, como era o caso de Mônika. Diabéticos e hipertensos como a aposentada não têm contraindicação para a vacina desde que estejam com os níveis de glicemia e pressão controlados.

"Para mim, por questões de saúde e da idade, está claro que era contraindicado ela se vacinar", diz Bianca. "Mas uma senhora, longe da família, foi tomar. O posto não deveria ter vacinado sem entender o histórico dela."

À BBC Brasil , a coordenadora de vigilância epidemiológica de Ibiúna, Elisângela Cardoso Pires, explicou ser "impossível" que a aposentada não tenha passado por uma avaliação ou triagem no posto de saúde.

Laudo aponta sintomas correspondentes aos da reação à vacina | Foto: Arquivo PessoalFoto: BBCBrasil.com
"Fazemos uma reunião uma vez por semana com enfermeiros e auxiliares de enfermagem, que prestam o atendimento nos locais de vacinação, para reforçar os critérios", afirmou Pires.


A coordenadora disse ainda que Ibiúna foi considerada uma área de risco pelo Grupo de Vigilância Epidemiológica de Sorocaba [ligado à Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo]. "A região é cercada por mata e tem muitos cursos d'água. Além disso, tivemos cinco casos confirmados de macacos mortos com febre amarela em locais distantes entre si."

Segundo Pires, isso significa que a aplicação da vacina em idosos dispensa a apresentação de uma carta de avaliação médica atestando o bom estado de saúde do paciente, informação confirmada pelo governo estadual. Logo, bastaria uma avaliação de saúde no momento da imunização e no próprio local de vacinação por um enfermeiro.

A Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo disse à BBC Brasildesconhecer o caso e informou que cabe aos municípios investigarem os casos de morte pela doença.

"De 2017 até o momento, houve 40 casos autóctones de febre amarela silvestre confirmados no Estado. Vinte e um deles evoluíram para óbitos. Não há casos de febre amarela urbana no Brasil desde 1942", disse em um comunicado enviado à BBC Brasil.

Vacina contra febre amarela é considerada altamente seguraFoto: AFP / BBCBrasil.com
Custo-benefício

Em pacientes com um sistema imunológico sadio, a vacina estimula o corpo a produzir anticorpos, para que, se houver um contágio, seu organismo seja capaz de combater a doença.

Mas, por ser feita a partir de vírus vivos atenuados, em determinados grupos de pacientes, como quem está com a imunidade debilitada ou tem alergias a elementos do ovo de galinha, usado em sua produção, a vacina pode causar problemas graves, como a DVA.

"É algo muito raro, mas pode ocorrer. São pouquíssimos casos em que essa reação leva ao óbito", diz Akira Homma, consultor científico sênior da Bio-Manguinhos/Fiocruz, ressaltando que "o custo-beneficio da vacinação é absurdamente claro". "É muito melhor se vacinar do que ter a doença."

Idosa morreu dez dias após ser imunizada | Foto: Arquivo PessoalFoto: BBCBrasil.com
De acordo com os índices oficiais de incidência do governo, em um universo de 20,6 milhões de pessoas imunizadas - a meta estabelecida pela campanha do Ministério da Saúde para os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia -, 51 poderão ter esta reação grave, ou 0,00025% dos pacientes.

Por sua vez, o grau de letalidade da febre amarela silvestre foi de 51% entre 1980 e 2004, de acordo com dados do governo. Isso significa que cerca de 10 milhões de pessoas correriam risco de morte em um cenário de epidemia em que todas as 20,6 milhões de pessoas fossem contaminadas.

Desde o início do surto, em 1º de dezembro de 2016, até 1º de agosto de 2017, foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Do meio do ano passado até o último dia 14, foram 35 casos - os números podem crescer, já que vários casos suspeitos estão em investigação.

O governo ainda analisa se classifica o quadro atual como um surto. Oficialmente, trata como um aumento atípico de casos, uma situação que gerou alarme e fez muitas pessoas, como Mônika, procurarem os serviços de saúde para se proteger.

"Minha mensagem é para tomarem cuidado com os idosos", diz a sobrinha-neta da aposentada.

"Uma senhora deveria ser aconselhada a procurar seu médico para ver se poderia tomar a vacina. Quero mais pessoas informadas, porque as pessoas no próprio posto às vezes não estão preparadas."

Isto É

www.blogclaudiooliveira.com

Aqui você fica bem informado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

FAÇA UMA PESQUISA NO BLOGUE