Fotomontagem / Divulgação/Senado e Infoglobo

Dados do sistema de prestação de contas do Senado revelam que parlamentares da Casa utilizaram a verba indenizatória de gabinete para comprar passagens aéreas em períodos de feriado prolongado. Os destinos, em quase todas as viagens, foram capitais com praias badaladas no Sul e no Nordeste.Ao analisar a evolução de gastos dos senadores, O GLOBO descobriu que a senadora Lúcia Vânia (PSB-GO), que não se reelegeu e está de saída do Congresso, comprou com recursos do Senado passagens para passar o réveillon em Maceió (AL). Os bilhetes de ida, em 21 dezembro, e de volta, no 1º dia do ano que vem, custaram R$ 3,6 mil, e foram emitidos pelo gabinete há mais de um mês, em 8 de novembro. Ao ser questionada nesta terça-feira, a assessoria da parlamentar admitiu o uso da verba, mas alegou que o gasto foi pendurado na conta do Senado por um erro da assessoria, que seria desfeito.

“As passagens para Maceió foram lançadas de forma equivocada na verba indenizatória. Como foram adquiridas no dia 08/11, o responsável pela prestação de contas inseriu no rol das verbas indenizatórias. A senadora Lúcia Vânia, ao ser informada do lançamento, ordenou a retirada do valor da prestação de contas”, informou a assessoria.

Romário em Florianópolis

Na semana seguinte ao primeiro turno das eleições, em que ficou em quarto lugar na disputa pelo governo do Rio, o senador Romário (PODE-RJ) passou o feriado de 12 de outubro em Florianópolis. As passagens, compradas com dinheiro público, custaram R$ 3,9 mil. Romário deixou Brasília em 11 de outubro rumo à ilha catarinense. No dia 14, ele voou de Florianópolis para o Rio de Janeiro, onde mora. Na volta ao estado fluminense, Romário foi acompanhado pelo servidor comissionado Fábio dos Prazeres Pinto, com passagem no valor de R$ 1,6 mil. Em resposta aos questionamentos da reportagem, a assessoria do senador Romário afirmou que, como ele “participou de eventos de promoção do esporte na capital catarinense”, o gasto se justifica:

“Sua imagem pública frequentemente o leva a participar de eventos e atividades de promoção do esporte, tanto amador quanto profissional, por todo o Brasil. Muitas vezes não são eventos classificados como ‘oficiais’, mas que têm um impacto significativo em suas comunidades. Reuniões com representantes das categorias e autoridades, como secretários de esporte, não precisam ocorrer em escritórios fechados, nem esta é a característica do mandato do senador. Este foi o caso da viagem citada pela reportagem”, respondeu por nota, sem citar o nome do evento que o senador teria participado ou as autoridades e representantes das categorias esportivas que teria visitado.

Nas redes sociais oficiais listadas no site do parlamentar, não foi feita nenhuma postagem sobre agenda de Romário em Santa Catarina durante os quatro dias em que esteve em solo catarinense. Entre publicações institucionais das pautas que defende no mandato, Romário postou uma foto acompanhado de amigos com a legenda “Suave na nave…kkk” o Instagram em 13 de outubro, um dia antes de voltar ao Rio.

Formatura

Os senadores João Alberto Souza (MDB-MA) e Lasier Martins (PSD-RS) viajaram num feriado com o mesmo itinerário. A dupla deixou Brasília no dia da Proclamação da República, 15 de novembro, rumo ao Rio de Janeiro. A volta de ambos foi no domingo, 18 de novembro. No dia seguinte ao desembarque em Brasília, João Alberto Souza apresentou duas notas de hospedagem no Windsor Hotel ao custo de R$ 2,8 mil reais.

João Alberto Souza não retornou ao contato da reportagem. Já o senador Lasier Martins confirmou, via assessoria, que viajou ao Rio de Janeiro, com os custos pagos pelo Senado, para participar de um compromisso exclusivamente familiar. Ele foi acompanhar a formatura da filha, que mora no Rio. O senador esclareceu ainda que a emissão do bilhete só foi feita depois de consulta ao setor responsável ligado à Mesa Diretora da Casa.

“O senador ressalta ainda que não chega a usar 20% do valor da cota para passagens aéreas a que tem direito. Considerando que é permitido a cada senador até cinco viagens mensais, Lasier Martins jamais fez mais de quatro em um só mês”, disse a assessoria.

O Globo

0 Comentários