O Ministério Público Eleitoral no Rio Grande do Norte ajuizou uma ação de investigação judicial por abuso de poder econômico contra o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT), candidato derrotado ao Governo; o deputado federal reeleito Walter Alves (MDB); o deputado estadual eleito Bernardo César Carlos Belarmino de Amorim, o Dr. Bernardo (Avante); além do ex-prefeito de Jardim de Piranhas Antônio Soares de Araújo, mais conhecido como Antônio Macaco.Todos vêm sendo investigados pela realização de um comício regado a bebidas alcoólicas e churrasco, com ampla distribuição para a população no dia 30 de setembro – uma semana antes da realização do primeiro turno das eleições. A denúncia diz que as bebidas e as carnes foram utilizadas como moeda de barganha para o beneficiamento das referidas candidaturas no pleito de 2018, o que caracteriza abuso de poder econômico e captação ilícita de sufrágio.

O flagrante da denúncia foi feito pelo Grupo de Atuação de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), durante a operação “Sufrágio 2018”, relatando supostas irregularidades eleitorais na cidade de Jardim de Piranhas, no interior do Estado, no dia 30 de setembro de 2018. Pela denúncia, foi constatada movimentação político-partidária dos candidatos Carlos Eduardo Alves, Walter Alves e Dr. Bernardo – todos acompanhados do ex-prefeito da cidade, Antônio Macaco. Na oportunidade, espalhou-se pela cidade notícias de que haveria distribuição gratuita de bebidas (cervejas) e churrasco durante o comício dos candidatos, chegando ao conhecimento, inclusive, da equipe do Gaeco/MPRN.

Agora RN

0 Comentários