Bruno César sofre com a marcação do Bangu Foto: Guito Moreto / Agência O Globo
Bruno Marinho

A cada chance de gol que o Vasco perdia em São Januário, mais o time abria mão do direito de escrever seu próprio destino na Taça Rio. Não foram poucas as oportunidades que a equipe jogou pela janela na derrota para o Bangu por 2 a 1. Será debruçado no peitoril, como um fiscal da vida alheia, que assistirá atentamente à partida de hoje entre Volta Redonda e Boavista. Para seguir para as semifinais, terá de torcer por um tropeço do Voltaço.Se a equipe do Sul Fluminense vencer ou empatar, o Cruz-maltino dará adeus ao sonho de levantar também a Taça Rio e se classificar diretamente para a decisão do Campeonato Estadual. Ganhará duas rodadas de folga para se preparar para as semifinais da competição principal. Por mais que o descanso seja bem vindo, a ideia era vencer o segundo turno.

- Sentimos a frustração. Perdemos a invencibilidade em casa. Tivemos chances de definir o placar, mas não vamos também tirar o mérito do Bangu. Eles foram bem, souberam aproveitar as oportunidades - afirmou o goleiro Fernando Miguel.

De fato, enquanto o Vasco abriu o placar com Tiago Reis, aos 42 minutos do primeiro tempo e não conseguiu emplacar as outras chances que criou, o Bangu foi guerreiro. Empatou com Anderson Lessa, em cobrança de pênalti, e virou nos acréscimos, com gol de Marcos Júnior, que homenageou a esposa falecida na comemoração do gol.

Com o resultado, time de Moça Bonita avançou para a semifinal da Taça Rio.

DO EXTRA

0 Comentários