O cantor afirmou que o programa da apresentadora era para “bandido, maconheiro, esquerdista derrotado”. Ministério Público sugeriu que o sertanejo realize serviços comunitários

O processo por “injúria, calúnia e difamação” movido pela apresentadora Fernanda Lima contra o cantor sertanejo Eduardo Costa pode ser resolvido de forma mais rápida. De acordo com a coluna do jornalista Ancelmo Gois, o Ministério Público do Rio de Janeiro sugeriu que o músico realize 50 horas de serviços comunitários em um mês, como forma alternativa de encerrar o processo.Segundo a Revista Contigo, a assessoria de imprensa de Eduardo Costa afirmou que o cantor ainda não foi notificado sobre este possível acordo. Fernanda Lima entrou com a ação após o cantor afirmar dizer o programa apresentado por ela na Globo, Amor & Sexo, é voltado para “bandido, maconheiro, esquerdista derrotado”.O comentário veio após a exibição do programa do dia 6/11 de 2018, quando no encerramento Fernanda Lima fez um discurso feminista, visto por alguns apoiadores de Jair Bolsonaro como um desafio ao então recém-eleito presidente.

Na ocasião, Fernanda ainda foi chamada de “imbecil” (entre outras ofensas) por Eduardo Costa, que também afirmou, por meio de seu perfil no Instagram: “a mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta pro lado mais fraco e o lado mais fraco hoje é o que ela está”.

Em dezembro, a apresentadora publicou um comunicado no qual colocou sua visão sobre os acontecimentos. “Em tempos de fake news é melhor esclarecer os fatos. Sobre o Sr. Eduardo Costa: Depois de ser difamada, agredida e ameaçada por ele através de um post indignado, procurei orientação jurídica a fim de proteger a mim e a minha família. Fui orientada a processá-lo, pois dessa forma inibiria agressões futuras. E assim o fiz”.

“Após eu autorizar o processo, o Sr. Eduardo Costa pediu desculpas através de outros programas a que foi convidado, deixando claro que não se arrepende do que disse e, sim, da forma como disse. Tendo em vista que ele me agrediu moralmente, me ameaçou, incitou o ódio de seus fãs contra mim (ontem mesmo minha assessoria recebeu telefonema de um fã dele me ameaçando) e atacou o meu trabalho, não entendo que pedido de desculpas é esse. Além disso, um pedido de desculpa verdadeiro pode até ser louvável, mas ele não repara o mal que fez a vítima. Faz parte do machismo estrutural transformar a vítima em ré. Era justamente esse o assunto do programa Amor e Sexo que tanto indignou o meu agressor”, afirmou a atriz, no comunicado.

Notícias do Pássaro

0 Comentários