O impasse entre a Cooperativa dos Médicos do Rio Grande do Norte e o governo do Estado ganhou novos contornos nesta sexta-feira(26). Isso porque a associação, que cobra pagamentos relativos aos dois primeiros meses de 2019, anunciou a paralisação dos serviços de alta e média complexidade, com a limitação em certas especialidades e em cirurgias.Em contato com o jornal Tribuna do norte, a assessoria da cooperativa disse que a partir desta segunda-feira(29) não vai mais receber pacientes vindos do interior para cirurgias, a não ser em casos de urgências. Pacientes já internados com cirurgias marcadas farão seus procedimentos normalmente. A cooperativa informou que 250 médicos prestam serviços ao Rio Grande do Norte.

As especialidades afetadas com a paralisação são os serviços de oncologia, ortopedia, cardiologia, neurologia, hemodinâmica e cirurgia pediátrica.

Reportagem publicada pela TRN nesta semana mostrou que a dívida do Estado para com a Coopmed é de R$ 6,7 milhões, referentes aos dois primeiros meses do ano. As informações são do Portal da Transparência.

Tribuna do Norte
Blogue Claudio Oliveira:  Só quem sofre com essa "guerra" entre governo e médicos, é a população.
ISSO É UMA VERGONHA!.

0 Comentários