Médico questiona prioridades das gestões (Foto: reprodução/TCM)

O Governo do Estado e a Prefeitura de Mossoró estão devendo quatro meses de pagamento aos anestesiologistas que trabalham na Maternidade Almeida Castro. A informação é do médico Ronaldo Fixina, diretor da Clínica de Anestesiologia de Mossoró (CAM). “Na Maternidade sob intervenção federal – anestesiologistas financiam a obstetrícia de Mossoró, cidade do Maior São João do planeta – uma apresentação de e Wesley besteira pagaria três meses de plantões”, disparou.

Ele informou que os plantões serão suspensos caso o problema persista. “Vamos entregar na Secretaria Municipal de Saúde uma seringa, uma ampola de propofol e uma ficha de anestesia simbolizando o final dos plantões da anestesia”, avisa.

Cada ente (Prefeitura e Governo) devem algo em torno de R$ 400 mil aos anestesiologistas. “E o mais cruel é emitir nota fiscal e pagar uma tributação inútil e injusta sem receita, ou seja, os médicos financiando a saúde”, argumentou.

São realizados 62 plantões/mês na maternidade com uma média de 500 anestesias mensais.

Por meio de nota a Prefeitura de Mossoró informou que estão em aberto os meses de janeiro e fevereiro que estão em negociação. Março está em fase de processamento e abril ainda não se venceu porque o mês se encerra hoje. A Assessoria de Comunicação da Secretaria Estadual de Saúde não foi localizada.

Blog do Barreto
Blogue Claudio Oliveira: Uma "guerra" que nunca acabará?

0 Comentários