Em juri popular promovido na tarde desta quinta-feira (2), em Mossoró, José Edilson Pereira da Silva e Igor Vincíus de Lima Neris foram foram considerados culpados pelo assassinato do vigilante do IFRN Francisco Cabral Neto, de 52 anos. Apontado como mandante do crime, José Edilson Pereira foi condenado a 21 anos, nove meses e dez dias de prisão. Igor Vinicius De Lima Neris, tido como intermediador do crime, foi condenado a 13 anos, seis meses e 20 dias.O crime aconteceu em abril de 2017, na cidade de Apodi, a 339 quilômetros de Natal. O processo foi transferido para Mossoró por questões de segurança. Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual, José Edilson, que também é vigilante, é apontado como mandante do crime.

De acordo com a investigação, ele planejou matar Francisco Cabral Neto para ficar com a vaga dele no IFRN. O acusado procurou Igor Vinícius de Lima Neres através de rede social e ofereceu dinheiro para ele executar o colega vigilante. Igor teria contratado um adolescente para cometer o crime também para quitar uma dívida. (mais…)

0 Comentários