Modelo diz que foi violentada pelo jogador. Caso segue sendo investigado
Por Da redação
access_time8 jun 2019, 13h46 - Publicado em 7 jun 2019, 17h51more_horiz

Neymar e Najila Trindade têm atraído os holofotes (Ueslei Marcelino/Reuters/Reprodução)

O caso de acusação de estupro do atacante Neymar feito pela modelo Najila Trindade mobilizou as atenções neste mês de junho. Muitos fatos, fotos, trocas de mensagens e acusações foram surgindo na história. Veja, dia a dia, os acontecimentos do caso Neymar.1° de junho
Neymar é acusado de estupro por uma mulher brasileira, em encontro em hotel, na cidade de Paris, no dia 15 de maio. O Boletim de Ocorrência foi feito no dia 31 de maio, em São Paulo. Na denúncia, a mulher, que vive no Brasil, afirmou ter conhecido o jogador por meio do Instagram e, depois de várias conversas, Neymar a convidou para viajar a Paris, onde os dois se encontraram e ele a teria violentado.

2 de junho
No dia seguinte à acusação, Neymar divulga um vídeo em seu Instagram declarando-se inocente e divulgando o conteúdo da conversa que teve com a mulher. A maioria das fotos que aparecem estão borradas, mas uma delas revela o rosto da modelo. O nome dela também aparece na divulgação.

3 de junho
Na segunda-feira, o Instagram retira do ar a publicação de Neymar por “violar as Diretrizes da Comunidade”. Em entrevista ao programa Aqui na Band, da Rede Bandeirantes, Neymar pai vai a público defender o filho e afirma que o jogador foi ameaçado e teve filmado o segundo encontro com a mulher, no dia 16 de maio, no hotel em Paris. No mesmo dia, durante entrevista do treinador Tite, policiais da Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI) foram à Granja Comary para investigar o vídeo publicado por Neymar. Davi Tangerino, advogado responsável por defender Neymar, disse que o jogador se apresentaria voluntariamente à polícia em São Paulo. Já o advogado de Najila Trindade, a mulher que acusa o jogador, José Edgard da Cunha Bueno Filho, disse ao Jornal Nacional que havia deixado o caso porque Najila teria admitido que o ato sexual foi consensual.

4 de junho
Nadine, mãe de Neymar, e Rafael Santos, a irmã, usam as redes sociais para criticar Najila Trindade, mulher que acusa o jogador de estupro. Ambas desejaram que “Deus a perdoe”.

5 de junho
Parte do vídeo do segundo encontro entre Neymar e Najila Trindade, do dia 16 de maio, vaza. Nas imagens, escuta-se a música ao fundo e ruídos de troca de beijos. A modelo leva Neymar até a cama para, em seguida, desferir tapas no jogador. “Você me agrediu ontem. Me deixou aqui sozinha”, diz ela. À noite, Najila concede entrevista ao SBT e diz que a agressão começou por falta de preservativo. “Eu não tenho. E ele respondeu que não. Então eu disse que não ia acontecer nada além disso… e continuamos… Então ele me virou e praticou o ato.” Enquanto a entrevista era transmitida, Neymar jogava pela seleção brasileira contra o Catar, em Brasília, e se lesionou nos primeiros minutos de jogo. A lesão tirou o jogador da Copa América.
6 de junho
Neymar foi levado para o hospital, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) o visitou e desejou rápida recuperação. Na manhã desta quinta-feira, a Mastercard suspenderu campanha com Neymar. Em áudio divulgado pela Rede Record, Najila pede que Neymar reconheça seu erro e faça exame antidrogas. Neymar posta foto de seu tornozelo lesionado e presta depoimento à polícia do Rio de Janeiro por crime de internet. Após o depoimento, Neymar fez uma breve declaração e disse que se sentiu muito amado pelo apoio e carinho do público. No fim da noite, a TV Record divulga novos trechos da conversa de Neymar com Najila, que enviou foto de sua nádega e fez uma reclamação. O jogador respondeu em tom de brincadeira: “As marcas, você foi culpada também (risos). Você pedia mais”. A advogada de Najila, Yasmin Abdalla, revela que sua cliente teve o apartamento arrombado em São Paulo.
O mais antigo BO de Najila Trindade

7 de junho
De Buenos Aires, o presidente Jair Bolsonaro volta a manifestar apoio a Neymar. “Pelo que vi até agora, o Neymar é inocente.” No mesmo dia, deputado federal do PSL-RJ, Carlos Jordy, propôs um projeto de lei que aumenta a pena para crimes de calúnia contra a “dignidade sexual”, apelidado de “Neymar da Penha”. Najila depõe na Delegacia da Mulher, no Bairro de Santo Amaro, em São Paulo. Enquanto isso, Neymar aumentava o número de seguidores em seu Instagram e prestava depoimento na DCRI do Rio, alegando que seus assessores editaram o vídeo de sua defesa, que continha imagens íntimas da modelo. Um outro Boletim de Ocorrência envolvendo Najila, de 2014, aponta ela como autora e vítima, em caso envolvendo seu ex-marido. Em seu depoimento, Najila diz que teve roubado o tablet onde estava o vídeo completo com cenas que comprometeriam Neymar.

DA VEJA

0 Comentários