O governo Fátima Bezerra, que defende o reajuste apenas para os procuradores do Estado foi derrotada na votação desta terça-feira na Assembleia Legidlativa. A deputada Isolda Dantas, que é contra o benefício para todos os servidores, se ausentou
Crédito da foto: Reprodução
Deputada Isolda Dantas votou contra a proposta na CCJ da Assembleia Legislativa

BLOG DO CÉSAR SANTOS

A Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, por maioria de votos, aprovou no início da tarde desta terça-feira (5) o recurso do deputado Nélter Queiroz (MDB) que garante a admissibilidade da emenda que amplia o reajuste salarial de 16,38% para todos os servidores públicos.

O projeto do governo Fátima Bezerra (PT) beneficia apenas os procuradores do Estado, considerados a “elite” do serviço público, que já ganham salários acima de R$ 30 mil.

A emenda de autoria de Nélter Queiroz foi reprovada na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ), com os votos dos deputados Isolda Dantas (PT), Kleber Rodrigues (Avante), Raimundo Fernandes (PSDB) e Hermano Morais (MDB). Eles consideraram a emenda inconstitucional. O parecer,, porém, foi derrubado no plenário.

Isolda Dantas, que articulou a derrota dos servidores públicos na CCJ, impondo a tese da "inconstitucionalista", decidiu se ausentar da sessão de hoje, numa tentativa de esconder a sua posição contrária ao reajuste de 16,38% para todos.
Outros deputados seguiram os passos de Isolda e se ausentaram como Eudiane Macedo (PRB), Souza Neto (sem partido), Dr. Bernardo Amorim (Avante), Albert Dickson (Pros). Esses parlamentares se negaram a votar a favor dos servidores públicos. Eles participam do governo com indicação para cargos comissionados.
O recurso de Nélter Queiroz foi aprovado pelos deputados Kelps Lima (Solidariedade), Alysson Bezerra (Solidariedade, Tomba Farias (PSDB), Sandro Pimentel (Psol), Ubaldo Fernandes (PL), José Dias (PSDB), Hermano Morais (MDB), Gustavo Carvalho (PSDB), Galeno Torquato (PSD), Getúlio Rego (DEM) e Coronel Azevedo (PSC).

Votaram contra a proposta os deputados governistas: Francisco do PT, George Soares (PL), Raimundo Fernandes (PSDB), Kleber Rodrigues (Avante) e Vivaldo Costa (PSD).

Os servidores públicos superlotaram as galerias da Assembleia Legislativa para cobrar coerência e uma votação justa, já que recentemente foi aprovado reajuste salarial de 23% para a Polícia Militar; para os servidores do Judiciário (4,95%) e do Tribunal de Contas (4%); além da proposta da governadora Fátima de beneficiar apenas os procuradores do Estado com 16,38%.

A proposta de reajuste ampliada para todos, de 16,38%, será votada na sessão desta quarta-feira (5), se o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), não tirar da pauta.

ACOMPANHE OS BASTIDORES DA POLÍTICA NO BLOG DO CÉSAR SANTOS

0 Comentários