Crédito da foto: DivulgaçãoO presidente da CDL de Mossoró, Wellington Rodrigues Fernandes, acredita que o número tende a cair

Edinaldo Moreno/Da Redação

Dados disponibilizados pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Mossoró apontam que Mossoró encerrará 2019 com 103.803 registros de inadimplentes. O número equivale de janeiro a novembro.De acordo com a entidade, houve recuo no ritmo de crescimento da inadimplência na cidade se comparado ao ano passado. Em 2018, eram 81.390 registros, aumento de 30,6%, enquanto que neste ano o crescimento é de 28,9%.

O presidente da CDL de Mossoró, Wellington Rodrigues Fernandes, entende que o número de inadimplentes na capital do Oeste é elevado e aponta alguns fatores para o fenômeno.

“Um número muito elevado, indiscutivelmente, tendo contribuído para esse número, a recessão por que passou o país, em especial nosso estado e município, afetados pela retração da Petrobras, queda no preço do sal, drástica redução na produção de castanha, deslocamento de produtores de melão para outras áreas, sendo que esses três últimos fatores, ocasionados pela seca que se prolongou por sete anos em nossa região”, disse Fernandes, que apontou ainda que o quadro poderia ter sido pior.



“Um quadro que poderia ter sido bem pior se Mossoró não contasse com uma sólida base de prestação de serviços na área de saúde e educação, notadamente na oferta de cursos de nível superior”, acrescentou.

Wellington Rodrigues ressalta que 2020 pode ser melhor do que 2019 “mantendo-se essa oferta de serviços e com a retomada do crescimento da construção civil, retomada do investimento no setor petrolífero e consequentemente do comércio, teremos um 2020 bem melhor do que o foi o ano de 2019, onde já experimentamos um leve crescimento”.

O presidente da CDL enfatiza que o cenário para o próximo ano é animador para a redução da inadimplência na cidade com os primeiros sinais de recuperação da economia.

“O cenário para o ano de 2020 se mostra com uma maior perspectiva de redução no ritmo de crescimento do número de inadimplentes, tendo em vista que a economia começa a dar sinais positivos de crescimento projetando para o ano de 2020 um crescimento mais robusto. Com isso, teremos um maior crescimento no nível de emprego e consequentemente poderemos, ao final do ano, começar a reduzir o nível de inadimplência.”

Segundo semestre ‘ganhou’ mais de 10 mil novos inadimplentes

Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), plataforma usada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Mossoró, apontou que a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte encerrou o mês de junho com 93.389 inadimplentes.

Entre julho e novembro, o número de endividados na cidade saltou para 103.803. O acréscimo no segundo semestre foi de 10.414 novos registros.

Mutirão retira aproximadamente 250 famílias da condição de endividamento

Em parceria com Procon-RN, Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Norte (FCDL-RN) e SPC Brasil, a CDL Mossoró realizou no último mês de agosto o “Mutirão Zera Dívida”.

O mutirão obteve cerca de 85% de resolutividade e aproximadamente 250 famílias saíram da condição de endividamento. Ou seja, elas saíram dessa condição e tiveram seus nomes excluídos do cadastro de endividamento. As principais dívidas foram nas áreas de cartão de crédito, operadoras de internet e TV a cabo.

A ação teve cerca de 230 atendimentos, sendo realizados entre 2 e 3 acordos em cada um deles. A atividade alcançou uma média de 500 acordos firmados. Para o coordenador-geral do Procon potiguar, Thiago Silva, o mutirão superou a meta.

“Para a gente, é um resultado muito positivo. Trazer de volta esse pessoal para o mercado consumidor aquece a economia e melhora a autoestima das famílias”, disse.

Segundo os organizadores, a ação visou facilitar a negociação de consumidores que estavam em situação de inadimplência com instituições financeiras, operadoras de telefone, internet, TV a cabo, cartão de crédito e o comércio de modo geral.

DE FATO

0 Comentários