Foto: Reprodução

A Polícia Federal e o Ministério Público do Ceará encontraram ameaças a autoridades do estado em um aparelho celular que estava na posse de Ednal Braz da Silva, vulgo “Siciliano”, apontado como chefe da facção criminosa Guardiões do Estado.Foi ele que ordenou, da cadeia, a maior onda de ataques já ocorrida no Ceará, no ano passado.

Segundo o G1, nas mensagem no celular do criminoso há ameaças de atentados e morte contra os secretários estaduais da Segurança Pública, André Costa, e da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque; e a outras autoridades como o diretor de um presídio localizado em Itaitinga, na região metropolitana de Fortaleza.

Leia mais aqui no Justiça Potiguar.

0 Comentários