Um homem de 31 anos apresentou atestado falso de coronavírus para não trabalhar por 14 dias. Jeffrey Travis Long trabalhava para a empresa Sitel Corporation, um call center em Spartanburg (Carolina do Sul, EUA). A companhia teve que ser fechada por cinco dias como medida preventiva e para passar por higienização.No atestado falso, o médico derminava que Jeffrey, após testar positivo para Covid-19, a doença provocada pelo coronavírus, teria que ficar fora da empresa de 12/3 a 26/3, completando assim o período de 14 dias regulamentar.

Jeffrey chegou a levar pânico à escola do filho, pois apareceu para buscá-lo.
A farsa não se sustentou por muito tempo e Jeffrey acabou preso por fraude, contou a emissora WSPA. Também perdeu o emprego. O hospital citado no atestado sequer faz exame de coronavírus.

A Carolina do Sul já confirmou 125 casos - reais - de Covid 19.

Via: Focoelho

0 Comentários